Já cansei de tentar! Fracassei

O encontro com um psiquiatra pode ser um divisor importante na vida de alguém. Pode ser aquele encontro adiado, sabido dentro de si, mas de certa forma difícil e que constantemente se pensa, mas ainda não é o momento certo. Assim a forma de chegada pode acontecer, repentina, quando já o sofrimento transborda, não se tem como conter dentro de si ou com um sentimento de impotência para cuidar de si.

Independente como ocorrer que seja um encontro. Há de se poder “explicar” o que causa aflição, angústia, tristeza e desamparo para que de acordo com a intensidade destes se defina, se ali ocorre um diagnóstico que precisa ser cuidado com medicamentos, terapia ou a associação destes. Assim como na ausência de um diagnóstico, amparar aquele sujeito para encaminhar seu sofrimento.

Procuro um neurologista?

Diferente de procurar o cardiologista, endocrinologista ou outra especialidade médica, ali naquela consulta muitas vezes tem que se dizer o que não se assume para si mesmo. Cada vez mais, nos tempos atuais, se precisa estar muito bem, ter um bom rendimento e “parecer” bem resolvido. Assim vai se negando que existem sofrimentos e não, tudo não está bom. Choro sozinho, meu peito dói, perco as noites de sono, sinto minha cabeça oca, já não sinto vontade para nada, venho comendo sem controle, bebo até perder o rumo e o rumo, bem esse já não sei onde deixei.

Está tudo acabado. Marquei uma consulta com o psiquiatra.

Quando a pessoa se propõe a marcar uma consulta com o psiquiatra pode ser por uma percepção interna de que as suas emoções precisam ser cuidadas, ou também, ocorrem situações em que as pessoas em volta percebem essa necessidade. O mais importante é perceber que este “mal-estar” da mente pode como o do corpo ser cuidado. Atualmente, o campo da psiquiatria avançou no detalhamento de alguns sintomas que são comuns a um grupo de indivíduos, o que permite disseminar a informação. Quando se esclarece melhor alguns sintomas, as pessoas podem se identificar e quando necessário procurarem ajuda. Entretanto, se identificar com um conjunto de sintomas, não necessariamente valida a presença de um diagnóstico. Portanto é fundamental a avaliação especializada para que se determine, qual é o caminho necessário para dar suporte a este sofrimento.

Cuidar da saúde mental, este lugar mais intangível, não significa ter fracassado, falhado ou o final da linha. Na realidade, pode ser o início de um caminho menos tortuoso. E cuidado!! Persista até encontrar o tratamento que possa ser um Encontro.

Inscreva-se para receber nossa newsletter e fique por dentro de tudo o que há de novo aqui no Portal da Mente!

Relacionados.

Fui por aí, volte após o horário de almoço

Ouvi falar que existia um tempo do horário de almoço. Existiam refeições nas mesas e as pessoas até conversavam sobre algo, que não era produtivo. Bastava colocar a comida no prato, acomodar os talhares e mastigar. Acreditem, havia que se

Ver +
Psicodélicos, depressão e a realidade

Psicodélicos, depressão e a realidade

Nos últimos vinte anos, a psicodelia voltou com maior vigor ao meio científico. Em especial no cenário da psiquiatria e das neurociências, em que estudos clínicos passaram a explorar dentro do modelo científico, se estes agentes químicos que promovem uma

Ver +
não-olhem-pra-cima (1)

Não olhem para cima! Olhem bem para baixo mesmo

Sugiro aos incautos que deem uma conferida antes da leitura abaixo no filme “Não olhe para cima”, 2021, da Netflix, ou mesmo aquele Google da sabedoria instantânea. Claro que os curiosos podem ler do jeito que quiserem ou até mesmo

Ver +